sábado, 26 de setembro de 2015

Voto por "exclusão de partes"

Tenho reflectido acerca das eleições que se avizinham, procurando sempre reger-me por uma conduta de transparência e respeito pelos outros, mas com ideologias e formas de pensar bem próprias,  resolvi colocar sob a forma de post, o que penso, as minhas intenções e apelo ao voto no PAF.
Que me desculpem aqueles amigos que pensam de forma diferente da minha, e que têm outras ideologias, e a estes peço apenas que me respeitem como eu os respeito. 

Por mais voltas que dê, do meu ponto de vista não existem alternativas credíveis à coligação PSD/CDS.

Os partidos mais pequenos e alguns novos partidos, na minha opinião de nada servem a não ser para complicar as contagens dos votos, confundir eleitores, aumentar o tamanho do boletim de voto e claro, mais despesas para o país.

Partidos de esquerda....abandonar o Euro, aumentos salários mínimos, etc, etc, utopias completamente inexequíveis.

Como sempre sobra o atual maior partido da oposição, o PS. 
O único no meu entender com possibilidades de ser alternativa, mesmo assim, mostrou-se a maior desilusão politica de todos os tempos, vejamos... a liderança começa com uma "traição", com o "apunhalar nas costa" de um camarada e amigo.  Mas, se não chegasse a traição, chegam as promessas, estas sim à "Syriza", enumerando apenas algumas: reposição de pensões, subsídios e outras remunerações, abolição da sobretaxa,  reposição de abonos de família, redução taxas moderadoras, aumento de ajudas/apoios, e por aí fora....pois, quanto vai isto custar?? aonde vamos encontrar receitas que cubram todas estas despesas? pelos vistos isso não interessa!?

Fala-se em confiança, mas eu não confio em quem não me dá provas concretas e inequívocas do que vai/pode fazer.

Confiar numa pessoa que coloca os interesses pessoais e ideologia à frente do bem comum que é o país, dizendo votar contra um orçamento sem o ver ou conhecer!?

Aqueles que como eu sofreram na pele os cortes de salários e regalias, nem sempre concordando com as medidas adotadas, mesmo assim, resta-nos pelo menos uma opção, aquilo que eu chamo de "voto por exclusão de partes", e por exclusão de partes e em consciência só posso votar PAF. 

A coligação PSD/CDS pegou numa empresa "falida", evitou a "insolvência", tomou medidas drásticas, impopulares, e por vezes erradas, mas corre o risco de ficar na história,  pelo facto de por 3 vezes  salvarem o país da bancarrota em que o PS nos deixou.

Essa "empresa falida" em recuperação não se pode dar ao luxo de "esbanjar" e deitar tudo a perder como quer fazer o PS, por isso não contem comigo .... mas, se for a vontade do povo Português que surja um novo governo, só espero que aqueles que eu apoio sejam mais responsáveis e patriotas que o líder do PS, e não nos deixem precipitar para uma crise politica desnecessária. Como consolação, caso ganhe o PS  pelo menos durante alguns meses irei ter um salário mais alto, vou receber abono dos meus filhos, etc, etc, não sei é por quanto tempo??? por isso não arrisco e tudo farei para que não aconteça, não por masoquismo, mas por coerência e responsabilidade.

O mais importante de tudo, é votar, exercer esse direito/dever pelo qual lutaram os nossos antepassados e que agora algumas pessoas esquecem e desprezam.

Até sempre....



quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Amizade ou doença ?

Confúcio dizia ..."Para conhecermos os amigos é necessário passar pelo sucesso e pela desgraça. No sucesso, verificamos a quantidade e, na desgraça, a qualidade."

Em Portugal assistimos a provas de amizade verdadeiramente doentias. 

Concordo plenamente que em circunstância alguma devemos abandonar ou desprezar os amigos, mas quando os amigos erram ou se "portam mal"?? contem com a minha amizade, mas não que os defenda ou que tente distorcer a realidade só para os proteger.

No caso que falo em particular não são amigos quais-queres, são amigos que se presenteiam e trocam entre eles milhões de euros, mansões etc, por isso se calhar entendo a dimensão desta amizade, e o que se possa fazer por ela.

Já na outra perspectiva, na do zé-povinho, do conterrâneo, do colega de partido ou camarada, aí a coisa muda de figura, continua a ser aceitável, espectável e desejável, que se visite, se apoie e que nunca se despreze o amigo, com contenção, sem dizer e fazer disparates ou expor ao ridículo.

Tenho muito orgulho na minha terra, dos meus conterrâneos e de todos os que comigo partilham e comungam de ideias ou projetos, no entanto fica aqui o aviso....portem-se bem, não façam "asneiras" porque da minha parte podem contar apenas com o apoio moral, as visitas e eventualmente ajuda, ajuda essa que não passará certamente por dizer disparates, concordar com o que fizeram, ou mesmo achar normal e correto o que fizeram so porque são meus amigos....é verdade...e no fundo, bem no fundo sentirei vergonha e não orgulho..

Até sempre,

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Degredo Total

Tenho-me contido, mas a minha paciência atingiu aquele ponto em que não cabe mais, transbordou e aqui estou a desabafar.

Começando pelo titulo e mais propriamente pela palavra "degredo", é a segunda vez que a utilizo, e para comentar o mesmo assunto, a "Casa dos Segredos" , "Big Brother", "Secret Story", os chamados "reality shows". 
Degredo, está no dicionário como "pena de desterro imposta por certos crimes",  "terra onde se cumpre o degredo", ou simplesmente "desterro/exílio" . Aquela gente que participa não é desterrado nem sequer vai para o exílio, são pessoas que sabem para onde vão, porque lá estão e o que devem fazer quando lá chegam. Por isso, não sinto pena dos participantes, à excepção de algum/a que eventualmente esteja sem emprego, passe por dificuldades e que veja a participação como forma de sustento, apenas estes terão a minha  complacência.

Quanto a quem promove, em concreto o canal ou canais promotores, desses apenas sinto desprezo, pois não olham a meios para alcançar o objectivo final que é as audiências. 
Criam-se cenários e propiciam-se situações que gerem conflitos, verbais e até físicos, incentivam-se os participantes a práticas sexuais na TV em direto, depois desculpam-se com golpes de moralidade, informando, alertando, e reclamando, queixando-se do resultado daquilo que promoveram e incentivaram vezes sem conta.

Mas não bastava não ver esse tipo de programas para tudo ficar bem?

Não...  e não vejo, mas estou farto de ver 1ªs páginas de jornais com noticias sobre o assunto, farto de nas redes sociais só porque seguimos certos meios de informação com o intuito de sermos informados do que se passa no mundo, sermos bombardeados com noticias dessa gente. 
Farto que no nosso dia-a-dia e até nas escolas dos nossos filhos sejamos importunados por esses "hipotéticos artistas" e seus familiares, alguns chamam-nos ignorantes por não conhecer-mos tais figuras...não faz mal, este tipo de ignorância é saudável e desejável.

No meu caso, e no de muitos portugueses infelizmente o "degredo" esta-nos  a ser imposto, por isso, estamos no direito de reagir e reclamar.

Já agora algumas sugestões para a esses canais.... deixem de tentar mascarar os ditos programas de "sérios", de parecer o que não são, pois o que pretendem está bem implícito.
De uma vez por todas basta de "atirar pedras e esconder a mão" se é sexo e violência que querem nos vossos programas, adquiram licenças e depois promovam sessões de sexo ao vivo, lutas de rua, lutas na lama, etc,  já agora formações e concursos de "azeiteirici", depois, podem aproveitar e em vez do ..."ligue, ligue" podem promover apostas, onde o espetador escolhe o vencedor da luta, maior "azeiteiro/a", o/a que aguenta ..... mais por dia, etc ...

Faço-o e escrevo-o por mim, mas ficava melhor se em Portugal existissem mais pessoas com as mesmas ideias...como dizia Fernando Pessoa, " Eu não escrevo em português. Escrevo eu mesmo".

Até sempre,

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Isto é um escorpião



Para começar bem o ano, e aproveitando o pouco tempo livre disponível, vou tentar relançar este blogue. Não poderia começar melhor lembrando uma vez mais quem somos e como somos. Acreditem ou não nos "astros" e mais propriamente nos "signos", desafio quem me conhece a ler este post e depois que diga qualquer coisa....

A fonte é esta : http://www.tafixe.com/2015/01/12/artigos/o-lado-mais-negro-dos-signos-ja-conheces-o-teu.php#escorpiao 


ESCORPIÃO (DE 23/10 A 21/11)
Escorpião é o signo da sensualidade, é o signo do mistério, das emoções fortes e da vingança, resumindo: Uma autêntica novela!
Quando o Escorpião nos olha nos olhos ficamos sem saber o que fazer, porque tem um olhar profundo e intenso. Muito intenso.
Para além disso, o Escorpião não esquece nada. O Escorpião também é obcecado pelo poder. Quando ele chega a qualquer lugar, ele passa os olhos por todos e como tem uma óptima intuição, ele sabe quem tem mais poder nesse lugar e aproxima-se da pessoa certa e pronto. Faz o seu papel charmoso e em seguida, faz bons negócios, bons contactos, etc. Mas o escorpião trabalha muito, é persistente e se tiver controlo emocional, vai longe.
Nunca mintas a um Escorpião… porque ele vai descobrir! Não tentes enganar um Escorpião… porque ele vai perceber! Não tentes fazer nada contra ele, porque ele vai vingar-se… Como não esquece nada, faz sempre questão de te mostrar que sabe o que tu fizeste no verão passado.
Fora isto, é um amor de pessoa!


segunda-feira, 30 de junho de 2014

A teoria da "bicicleta"

Envergonhado com a prestação da Selecção Nacional de Futebol, enjoado com a corrida ao "tacho" do maior partido da oposição em Portugal, resolvi contar aqui a chamada "teoria da bicicleta".


Está provado como evidencia que em miúdos, quer rapazes quer raparigas nas brincadeiras com bicicletas, existe sempre aquele desejo de "dar uma volta com na bicicleta do vizinho/a". Ora até aqui tudo bem.... acrescento que muitas vezes os miúdos,  mesmo com bicicletas novas e melhores, preferem dar uma volta na bicicleta do vizinho às vezes velha e enferrujava, chegando mesmo a fazer trocas, durante o passeio ou brincadeira. É aqui que surge o mote para a dita "teoria da bicicleta". Dizem pensadores de "café" que esta tendência de miúdo, acompanha o crescimento e transporta-se para a vida afectiva do individuo quando adulto. Os argumentos e justificações para esta teoria são os que passo a descrever.

O facto de em miúdos se trocar bicicletas novas por velhas ou bicicletas bonitas por outras menos agradáveis à vista, explica aquele facto de muitos conjugues sem explicação plausível trocarem  as suas caras metades por outras "aparentemente" inferiores, mais velhas/os, mais feias/os, etc...

Quanto ao uso que se dá ao "veiculo" também serve de explicação para muita coisa, senão vejamos, aqueles que não dão uso a sua bicicleta, que a deixam abandonada em qualquer lado, correm o risco de outros se apoderarem dela, usando-a e servindo-se dela. Por fim devemos estimar e cuidar da nossa bicicleta, correndo o risco desta se degradar, ficar menos agradável, enferrujar as correntes, com isto andar pior e levar-nos à troca.

Hoje mais virado para as "teorias de brincadeira" envio o meu até sempre.....




quarta-feira, 28 de maio de 2014

A decadência do ser humano

Resolvi colocar em blog a mensagem que coloquei no facebook depois daquela palhaçada que foi o festival da canção. O numero de likes e de partilhas provou que afinal não sou eu que estou maluco, felizmente ainda existem algumas pessoas no meu circulo de amizades e conhecimentos que partilha das minhas opiniões, assim, fica uma esperança que esses grupos sejam maiores que aquilo que eu imagino e que com estes pequenos alertas se alastrem e cresçam.

Esta é a mensagem ....

"A decadência da raça humana aumenta cada dia que passa, a evolução da espécie está a sofrer mutações, não só físicas mas essencialmente intelectuais e isso é que me preocupa... serão estas as adaptações necessárias para a nossa existência? Se sim prefiro então regredir para o pitecantropo ou mesmo para macaco."   

Nem de propósito começa a circular uma imagem que ilustra exactamente o que eu tinha escrito, não resisto e também a coloco.
Esta sem duvida é a prova que não estou sozinho e que felizmente o ser humano ainda tem uma réstia de esperança. São coisas como isto que me incentivam e servem de tónico para continuar neste meu "cantinho" a partilhar aquilo que penso com os outros.

Até sempre, Carlos..


domingo, 9 de março de 2014

Respeitar a Idade

Toda a minha vida tive um carinho e respeito especial pelos idosos.
Não sei se pelo facto de apenas ter convivido apenas com a minha avó materna (poucos anos) e do avó paterno ter umas vagas lembranças e ideias (faleceu quando eu tinha apenas 4 anos), os outros dois faleceram antes de eu ter nascido, nem sequer os conheci.
Mesmo sem avós, na aldeia onde vivia idosos era o que não faltava, bastava deslocar-me à "tasca" dos meus tios, e era isso que eu fazia, foram bons tempos.... 
Desde tenra idade que convivi com esses idosos, os "reformados" da aldeia e de aldeias vizinhas. Todos os dias se juntavam para beber uns copos, petiscar e principalmente jogar as cartas e discutir.....sim discutir muito, sobre o passado, por causa das cartas, porque algum já via mal, porque outro ouvia mal, enfim falavam e discutiam sobre tudo e todos. 
Mas, e existem sempre mas....entre conversas e discussões falavam-mos das suas longas experiências de vida, contavam-nos historias e acima de tudo ensinavam-nos, sim ensinavam-nos muito e coisas muito importantes que ainda hoje utilizo no dia a dia, e partilho também com os meus filhos. Eram sobretudo homens de trabalho, de muito trabalho, com as mãos calejadas, alguns doentes e com bengalas, pouco letrados ou mesmo na sua maioria analfabetos, cujo legado não foi apenas ensinarem-me a jogar as cartas, foi muito mais que isso, ensinaram-me o que não aprendi na faculdade e que nenhum livro me pode ensinar. Falavam sobre a vida, sobre a sociedade e sobre a politica, e divertiram-nos ...divertiram-nos como ninguém. Ainda hoje sonho com a imagem daqueles senhores sentados no banco de pedra "o banco dos reformados", a jogar a discutir a contarem-nos historias, a cantar ao "desafio", a beber, hoje zangavam-se amanha estavam amigos, enfim a gozarem o que lhes faltava da vida de forma pacata e divertida.
Assim, este post tem dupla finalidade, a primeira homenagear aqueles SENHORES que fizeram parte da minha infância, para todos eles a minha homenagem sentida e de saudade, a outra finalidade é a de mostrar que existem idades para tudo e embora os respeite à limites que não se podem admitir mesmo a idosos, tudo isto para chegar a um senhor que mesmo sem identificar todos sabem de quem falo......
As famílias, os verdadeiros amigos e aqueles que querem bem aos idosos, devem preserva-los e apoia-los em todas as situações, e por favor se o Dr. tem amigos e familiares, comprem-lhe umas "mantinhas", ensinem o senhor a jogar as cartas ou xadrez, arranjem-lhe um grupo de amigos que o ajude a passar os dias mas tirem o senhor da politica, não o convidem para falar de politica e protejam a imagem que temos do seu passado, ( se é que tem algo de bom a preservar !?), ou então, os senhores do partido a que pertence marquem um congresso extraordinário e ponham-no novamente a presidente do partido e candidato a primeiro ministro.

Termino quase como comecei, enviando para um céu (ou onde quer que estejam os "velhinhos da Vitória") um abraço terno e de saudade daquele miúdo que guarda no coração tão belas recordações de infância, dos velhinhos e da tasca, sem de forma alguma me esquecer do dono da mesma o meu tio João (abraço especial para ele)....

Até sempre,