sábado, 26 de setembro de 2015

Voto por "exclusão de partes"

Tenho reflectido acerca das eleições que se avizinham, procurando sempre reger-me por uma conduta de transparência e respeito pelos outros, mas com ideologias e formas de pensar bem próprias,  resolvi colocar sob a forma de post, o que penso, as minhas intenções e apelo ao voto no PAF.
Que me desculpem aqueles amigos que pensam de forma diferente da minha, e que têm outras ideologias, e a estes peço apenas que me respeitem como eu os respeito. 

Por mais voltas que dê, do meu ponto de vista não existem alternativas credíveis à coligação PSD/CDS.

Os partidos mais pequenos e alguns novos partidos, na minha opinião de nada servem a não ser para complicar as contagens dos votos, confundir eleitores, aumentar o tamanho do boletim de voto e claro, mais despesas para o país.

Partidos de esquerda....abandonar o Euro, aumentos salários mínimos, etc, etc, utopias completamente inexequíveis.

Como sempre sobra o atual maior partido da oposição, o PS. 
O único no meu entender com possibilidades de ser alternativa, mesmo assim, mostrou-se a maior desilusão politica de todos os tempos, vejamos... a liderança começa com uma "traição", com o "apunhalar nas costa" de um camarada e amigo.  Mas, se não chegasse a traição, chegam as promessas, estas sim à "Syriza", enumerando apenas algumas: reposição de pensões, subsídios e outras remunerações, abolição da sobretaxa,  reposição de abonos de família, redução taxas moderadoras, aumento de ajudas/apoios, e por aí fora....pois, quanto vai isto custar?? aonde vamos encontrar receitas que cubram todas estas despesas? pelos vistos isso não interessa!?

Fala-se em confiança, mas eu não confio em quem não me dá provas concretas e inequívocas do que vai/pode fazer.

Confiar numa pessoa que coloca os interesses pessoais e ideologia à frente do bem comum que é o país, dizendo votar contra um orçamento sem o ver ou conhecer!?

Aqueles que como eu sofreram na pele os cortes de salários e regalias, nem sempre concordando com as medidas adotadas, mesmo assim, resta-nos pelo menos uma opção, aquilo que eu chamo de "voto por exclusão de partes", e por exclusão de partes e em consciência só posso votar PAF. 

A coligação PSD/CDS pegou numa empresa "falida", evitou a "insolvência", tomou medidas drásticas, impopulares, e por vezes erradas, mas corre o risco de ficar na história,  pelo facto de por 3 vezes  salvarem o país da bancarrota em que o PS nos deixou.

Essa "empresa falida" em recuperação não se pode dar ao luxo de "esbanjar" e deitar tudo a perder como quer fazer o PS, por isso não contem comigo .... mas, se for a vontade do povo Português que surja um novo governo, só espero que aqueles que eu apoio sejam mais responsáveis e patriotas que o líder do PS, e não nos deixem precipitar para uma crise politica desnecessária. Como consolação, caso ganhe o PS  pelo menos durante alguns meses irei ter um salário mais alto, vou receber abono dos meus filhos, etc, etc, não sei é por quanto tempo??? por isso não arrisco e tudo farei para que não aconteça, não por masoquismo, mas por coerência e responsabilidade.

O mais importante de tudo, é votar, exercer esse direito/dever pelo qual lutaram os nossos antepassados e que agora algumas pessoas esquecem e desprezam.

Até sempre....



Sem comentários:

Enviar um comentário